fbpx Skip to main content

Sabia que é possível ganhar créditos com o Sistema de Compensação de Energia Elétrica? Entenda!

Já pensou em ganhar créditos com a energia do seu sistema fotovoltaico? Saiba que é super possível usar um saldo energético para abater na conta de luz do escritório, da casa de campo ou outro local que desejar. Graças ao Sistema de Compensação de Energia Elétrica, criado pela ANEEL por meio da Resolução Normativa nº 482/2012, a micro e mini geração de energia renovável vem sendo cada vez mais valorizada no Brasil. Lembrando que em 2015 já tivemos melhorias na resolução que trouxe novas possibilidades para o consumidor, reduzindo, por exemplo, o tempo e burocracia para conexão à rede das concessionárias.

Quer entender melhor como funciona o sistema de compensação? Acompanhe mais abaixo a conversa que tivemos com nossos clientes Geraldo Xavier de Faria e Marco Aurélio Camargo da Rosa. Ambos usufruem dos benefícios desse sistema.

O Sistema de Compensação de Energia Elétrica permite que a energia excedente gerada pela unidade consumidora com micro ou mini geração seja injetada na rede da distribuidora. Essa funcionará como uma “bateria”, armazenando o excedente. Quando a energia injetada na rede for maior que a consumida, o consumidor receberá um crédito em energia (kWh). Que pode ser utilizado para abater o consumo em outras instalações ou na fatura dos meses subsequentes. Os créditos de energia gerados continuam válidos por 60 meses.

compensacaoenergiasolarcosolCom o objetivo de reduzir os custos e o tempo para a conexão da micro e mini geração, compatibilizar o Sistema de Compensação de Energia Elétrica, aumentar o número de consumidores e melhorar as informações na fatura, a ANEEL publicou em 2015, a  Resolução Normativa 687 . Essa atualização trouxe novas possibilidades para o consumidor utilizar os créditos de energia em outras unidades previamente cadastradas dentro da mesma área de concessão e caracterizada como:

Geração compartilhada (transferência dos créditos excedentes entre propriedades onde a conta de luz esteja sobre o mesmo CPF/CNPJ ou CPFs/CNPJs diferentes, desde que firmado em contrato).

Autoconsumo remoto (utiliza-se um terreno de sua propriedade para construir um sistema fotovoltaico e usar a produção de energia dele para abater a sua conta de luz, na cidade, por exemplo.  Assim você pode produzir energia em outro local para reduzir a sua conta de luz caso você não tenha o espaço ou a condição favorável).

Geração em condomínio (você gera energia solar em condomínios e partilha entre os condôminos.  A geração pode tanto ser usada para as áreas comuns como pode ser compartilhada entre todas as contas de luz dos condôminos).

 De Barbacena para BH

Comodidade, tranquilidade, independência e economia era o que buscava o aposentado Geraldo Xavier de Faria, morador de Barbacena, quando resolveu investir em um sistema de energia fotovoltaica para a sua casa. Em seu projeto, desenvolvido por nossa equipe no ano passado, foram instalados 29 módulos de 310 Wp, totalizando 8,99 kWp. Hoje ele gera uma média 1.055 KWh/mês.

Usufruindo dos benefícios do sistema de compensação de energia, todo o excedente que Geraldo produz em Barbacena é compartilhado com o apartamento de seu filho em Belo Horizonte. “Minha conta de luz era altíssima. Chegava a 750 reais. Hoje com os painéis fotovoltaicos meu custo caiu para 125 reais e ainda transfiro 80% do excedente para o meu filho, explica”.

Geraldo está bem satisfeito com os benefícios e acredita que em breve terá todo seu investimento recuperado. “Fico muito feliz com o atendimento que recebi dos engenheiros da Solsist em todos os processos. Só lamento pelo fato da energia solar ainda não ser acessível a um número maior de pessoas. Pois além da economia gerada, fazemos um bem enorme para o meio ambiente”.

Da fazenda para a cidade

Sistema de Compensação de Energia Elétrica
No projeto de Marco Aurélio foram instalados 20 módulos de 315 Wp, totalizando 6,3 kWp

Outro case que compartilhamos com vocês e que em breve estará colhendo as mesmas vantagens do aposentado Geraldo Faria, é do dentista Marco Aurélio Camargo da Rosa. O projeto dele também se encaixa na geração de autoconsumo remoto. Morador de Belo Horizonte, a intenção dele era instalar um sistema de energia fotovoltaica em sua clínica ou casa. Devido ao sombreamento causado por outros prédios ao redor dos espaços, ambos foram desaconselhados pela Solsist. A solução foi desenvolver o projeto na fazenda do dentista, localizada em Pompéu (MG). Otimizando  assim o excedente e compensando em sua residência e clínica odontológica. Foram instalados 20 módulos de 315 Wp, totalizando 6,3 kWp. A estimativa de produção de energia é de 780 kWh/mês.

“Sempre tive vontade de produzir a minha própria energia em casa e no trabalho. Não só por questões econômicas e ambientais, mas acho importante apostar nessas novas tecnologias. E, acima de tudo, mostrar para as pessoas o nosso compromisso social”, ressalta.

Assim como Geraldo Faria, Marcos Rosa acredita na necessidade de políticas públicas para ajudar a impulsionar o mercado. “Se tivéssemos uma linha de financiamento com juros mais baixos, por exemplo, teríamos mais instalações no Brasil afora. Morei na França durante um tempo. Lá a insolação lá é muito menor que a do nosso país. Por outro lado, os investimentos na área são bem superiores”, acrescenta.

Para quem deseja investir em um sistema de energia fotovoltaica, Marcos aprova os serviços da Solsist Energia. Para ele, os engenheiros da empresa estão no caminho certo, pois acreditam no que fazem. “São profissionais competentes e cuidadosos com seus equipamentos, trabalho e funcionários. Vão além de suas funções, atuando em várias outras frentes para atender o cliente da melhor forma possível”.

Faça como o Geraldo e o Marcos. Entre em contato com a gente. Temos o projeto ideal para sua residência e empresa. E, claro, o melhor orçamento!

%d blogueiros gostam disto: