fbpx Skip to main content

Começa, neste domingo, o horário de verão.

bece3c_c51005dbb64b431cb937c66e1b84b51c-mv2

À meia-noite do próximo domingo (16 de outubro) tem início o horário de verão nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, locais onde o relógio deve ser adiantado em uma hora. Visando a economia de energia, a prática é realizada no Brasil desde 1931 (com alguns intervalos) e compreende 10 estados mais Distrito Federal. São eles: Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Espírito Santo. O novo horário se estende até o dia 19 de fevereiro de 2017, ocasião em que os ponteiros dos relógios deverão ser atrasados em uma hora.
Mais recentemente, o horário de verão passou a vigorar por meio do Decreto nº 6.558, de 8 de setembro de 2008. O principal objetivo da medida é o melhor aproveitamento da luz solar em relação à artificial, de forma a reduzir a concentração de consumo no horário de pico (entre 18 e 21 horas). Neste período o uso de energia gerada por termelétricas pode ser evitado, reduzindo o custo da geração de eletricidade. Para se ter uma ideia, o verão é a época do ano em que mais se consome energia e se juntarmos isso ao horário de pico teríamos um grande problema energético para resolver podendo até mesmo gerar um apagão caso não houvesse o horário de verão.
bece3c_7d5e66d8ea0842379411f0e769dd809b-mv2
Segundo o Ministério de Minas e Energia, a estimativa de ganhos com o horário de verão é de R$ 147,5 milhões, que representa o custo evitado em despacho de usinas térmicas por questões de segurança elétrica e atendimento à ponta de carga no período de vigência da medida. Os principais benefícios da redução de demanda no horário de ponta, além da redução dos investimentos no sistema elétrico, são o aumento da segurança operacional, decorrente da diminuição dos carregamentos na rede de transmissão; maior flexibilidade operativa para realização de manutenções e redução de cortes de carga em situações de emergência no sistema elétrico e a redução dos custos de operação do Sistema Interligado Nacional (SIN).
Nos últimos dez anos, de acordo com o Ministério, a medida tem possibilitado uma redução média de 4,5% na demanda por energia no horário de maior consumo. Isso gera uma economia absoluta de 0,5%, o que equivale, em todo o período do horário de verão, ao consumo mensal de energia da cidade de Brasília, com 2,8 milhões de habitantes.
Atitudes que fazem a diferença
Se a ideia do horário de verão é ajudar a economizar energia em um período de quatro meses, porque então não adotar essa prática durante todo o ano? Saiba que pequenas iniciativas em nosso dia a dia podem contribuir bastante para uma redução na conta de luz no final do mês.
Algumas dicas, inclusive, já são bem conhecidas entre nós, como apagar a luz ao sair de um ambiente; usar lâmpadas fluorescentes ou LED, preferir a luz natural durante o dia e desligar o chuveiro – principal vilão da conta – enquanto se ensaboa, ou até mesmo utilizar o aquecimento solar para este fim. Mas existem outras inúmeras atitudes, ainda não tão conhecidas, que também podem ser praticadas, de acordo com a cartilha da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que orienta os usuários sobre o uso racional da energia.
bece3c_0fe18036bd654554af6a276f6c49c9a2-mv2
Agora, se você quer ter uma economia significativa em sua conta de luz, de forma permanente, a melhor maneira é produzir a própria eletricidade com os sistemas fotovoltaicos. No horário de verão, como afirma o sócio da Solsist, Luciano Vinti, a economia quase nem é percebida na conta, já que o usuário estará gerando créditos de energia. Mas no restante do ano é possível reduzir o valor em até 95%. O melhor de tudo é que além da economia, quando você começa a utilizar a energia solar está contribuindo para a preservação do meio ambiente. Afinal, o sol é a energia mais limpa e renovável do planeta.

 

DCIM100MEDIADJI_0012.JPG

 

Usufruir do sol o ano inteiro é uma das melhores saídas para o bolso e para o desenvolvimento sustentável. Por isso a Solsist apresenta as melhores soluções em energia alternativa. Podemos simular, por exemplo, quanto o seu imóvel economizará ao optar pela energia solar e a área necessária para a instalação dos painéis fotovoltaicos. Entre em contato conosco: (31) 3477-7714 | (31) 4042-0255 ou pelo email: contato@solsistenergia.com.br

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: